Header Ads

ad

EXPOSIÇÃO CAL, BARRO & LUZ, DA FOTOJORNALISTA XIQUEXIQUENSE JAQUELINA KERN .

Desde adolescente, cultivo um hábito muito peculiar: caminhar pela cidade, observar as suas casas, a sua gente nas calçadas, as crianças brincando nas ruas o vai e vem de pessoas por entre as calçadas. Até hoje, acho que essa é melhor maneira de conhecermos um lugar, a cultura de um povo, a nossa cidade. Foi dessa forma que, ao chegar a Juazeiro e Petrolina para ser uma de suas munícipes, conheci a beleza da sua arquitetura, ora eclética, ora barroca, ora neogótica, essa mistura que apaixona na simplicidade de suas formas e da sua gente que muito bem soube bordar o concreto, a cal e o barro. É na imagem, através da fotografia, que absorvi o belo das cidades às margens do São Francisco e que lembra a minha terra Xique-Xique, cidade repleta de história e dona de uma arquitetura tão ou mais bela que todas por onde já passei.


Acreditar na denúncia de seu desaparecimento, trazendo a boa nova da recuperação e da preservação, e salvaguardar nossos bens, aquilo que foi deixado pelos nossos antepassados na memória dos que foram, do que somos sem perder o desejo de mostrar para aqueles que virão. Esse foi o cenário que me motivou a realizar a Exposição Cal, Barro & Luz: Memória Fotográfica do Patrimônio Arquitetônico de Juazeiro/BA e Petrolina/PE. Idealizado como Trabalho de Conclusão do curso de jornalismo no ano de 2008, acreditei nas palavras da orientadora Andrea Cristiana e do diretor do IPAC na Bahia Frederico Mendonça de que este trabalho tinha potencial para uma pesquisa de mestrado. Hoje, com o mesmo tema da exposição, cursando o mestrado em Desenho, Cultura e Interatividade na Universidade Estadual de Feira de Santana, já apresentei o trabalho em Itabuna e Juazeiro pelos Salões Regionais de Artes Visuais da Bahia, na Fundação Museu Regional do São Francisco, em Juazeiro, e no River Shopping, em Petrolina .

Nesta exposição, concebo as fachadas enquanto lugar de memória que delimitam os espaços que correspondem os limites da moradia, a passagem das pessoas pelas vias públicas. As fachadas também representam uma autêntica hegemonia econômica da sociedade existente no século XX, nas cidades ribeirinhas. Agora, esta mesma exposição foi contemplada no edital Portas Abertas Para as Artes Visuais, da Fundação Cultural do Estado da Bahia, como um convite a que mais moradores e transeuntes de várias cidades possam admirar a beleza da cal, do barro à luz da fotografia, no Centro de Cultura Olivia Barradas, em Valença, no período de 4 de junho a 4 de julho . A exposição procura chamar atenção das pessoas sobre o descaso com o patrimônio arquitetônico. Em breve, também quero registrar a beleza de minha cidade de origem, Xique-Xique, para expor as casas que ainda resistem ao tempo e aos cuidados de seus moradores .

DATA : 5 de junho a 4 de julho / 2010
LOCAL : Centro Cultural Olívia Barradas. Valença/Bahia.

POR JAQUELINA KERN .
FONTE : JORNAL PAGINA REVISTA .

Nenhum comentário

ATENÇÃO!!! Tenha responsabilidade em seus comentários, não nos responsabilizamos por conteúdos impróprios .