Header Ads

ad

UATI CONQUISTA PÚBLICO DA TERCEIRA IDADE .

Alunas após aula de Terapias Alternativas Orientais, ministrada por Erasmo Deterra, da Escola Tradicional de Arte Marcial Chinesa .


Com depoimentos emocionantes, palestras, músicas e debates, o campus XXIV - Xique-Xique dá início à abertura oficial da UATI (Universidade Aberta à Terceira Idade), com 50 inscritos, oito oficinas, entre elas o coral, dança de salão, UATINET, teatro, além de encontros e momentos culturais já agendados para o próximo mês. Assim foi a semana de abertura, acontecida entre os dias 19 e 20 de abril . No primeiro dia do evento, contaram-se com a presença de autoridades municipais, professores, do diretor prof. João Rocha, da coordenadora da UATI/Xique-Xique profa. Líbia Melo, alunos e comunidade em geral .


A palestra que abriu os trabalhos discutiu a importância do ancião nas sociedades indígenas e africanas, intercalada com momentos culturais e conscientização sobre a importância da leitura e uso da biblioteca. No segundo dia, uma mesa-redonda abriu discussão sobre o estatuto do idoso, tendo com membros o dr. Jorge Nogueira, advogado no Município, a assistente social e professora Carlene Silva e a irmã Clementina, da Pastoral do Idoso. Esta primeira experiência com a UATI só fez confirmar o que diz Amadou Hampâtè Ba: “O conhecimento africano é um conhecimento global, um conhecimento vivo. É por isso que os anciãos, os últimos depositários desse conhecimento, podem ser comparados a vastas bibliotecas, das quais as múltiplas prateleiras estão ligadas entre si por relações invisíveis que constituem esta “ciência invisível” autenticada pelas correntes de transmissão iniciática”.

É sempre um momento enriquecedor compartilhar com os anciãos e beber da fonte de sua sabedoria, como afirmam algumas participantes: “Quando cheguei em casa depois de minha inscrição na UATI, contei à minha filha que sou agora universitária!”, afirmou Dôdora, emocionada. Para outras, o momento é de resgate da autoestima. “Agradeço a vocês da UNEB e a todos pela oportunidade de resgatar nossa autoestima”, disse Divina . Segundo a professora Líbia Melo, contribuir para o exercício da cidadania e o respeito à pessoa idosa, trazendo estas discussões no âmbito acadêmico, é uma das metas do projeto. “Já plantamos a nossa primeira semente em terra fértil e aguardamos ansiosos os frutos da vitória”, espera Líbia.

FONTE : PAGINA REVISTA DE ERASMO DETERRA .

Nenhum comentário

ATENÇÃO!!! Tenha responsabilidade em seus comentários, não nos responsabilizamos por conteúdos impróprios .