Header Ads

ad

CÉLITO REGMENDES: A SAGA DA FAMÍLIA "BASTOS"! UM POUCO DA NOSSA HISTÓRIA REGIONAL .


Jonatas Bastos, Rauzinho, Beto Lélis, Adão Bastos, Djalma Bessa, Birinha e Mangangá de Julieta entraram onde nessa história?

Pois  bem, como disse, a jornada dos "Bastos" em nos trecho começa quando o jovem português Antônio P. Bastos chega a Salvador ( por volta de 1752-1756) e la se casa com a soteropolitana Josefa P. de Matos (1752-1758) que ao que tudo indica fazia parte de uma grande família já ramificada por terras garimpeiras de Minas Gerais, Caitité, Rio de Contas e Jacobina, tal casal e muito provavelmente outros parentes e gente próxima deles, num determinado período da década de 60 ou 70 do século XVIII foram parar na Barra do Rio Grande ali logo se misturaram a famílias que já estavam por lá como a Araújo Teixeira, Alves Carneiro, Gomes Lima, Martins Santiago, Rodrigues Covas, Silva Pereira, Ilva Pereira Machado e Pereira da Rocha, logo alguns ganharam o rumo da Serra do Assuruá onde já havia um arraial muito provavelmente formado por colonos portugueses sobretudo dos açores e do norte de Portugal como os Alves Bessa, Alves Carneiro, talvez os Queirós, Rodrigues Porto e gente que penso que veio de Minas Gerais como os Alves Martins de Almeida e os Cardoso, assim como se espalharam também por outros pontos da maravilhosa e misteriosa Serra Assuruanse.

Uma coisa é certa, dois casais( Antônio P. Bastos, Josefa Matos, sua irmã Luzia P Matos e Ignácio Sousa Nogueira ) deixaram fortes marcas na história da Barra e principalmente de nosso trecho que felizmente foram possíveis chegar até a gente através de documentos eclesiásticos e judiciários onde gente como eu , Taiane Dantas, seu irmão Flávio e a centralense Elisângela Ferreira entre outros tivemos acesso e a partir disso podemos deixar ás claras um monte de coisas que já não faziam mais parte do corolário de menções da nossa rica história oral, ou então, como já disse, aparecem muito vagamente como é o caso dos Nogueiras, quando estive em Xique-Xique soube de alguns deles de Nova Iguira (Marreca Nova) que "sabiam" que eram aparentados ao povo de Itaguaçu da Bahia (Tiririca) e de Uibaí, isso me deixou intrigado, mas, a partir da análise de uma série de velhos documentos escritos em caligrafias nem sempre fáceis de se ler, acredito que já seja possível dizer o como e por onde se dá o parentesco entre os inteligentes, vaidosos e de sangue fervente como os Nogueiras aos de mesma cepa, os Rocha Machado.

O Ex Senador e Deputado Federal Xiquexiquense Djalma Bessa: O nome de escolas de vários lugares de nossa região tem o do Xiquexiquense DJALMA BESSA que por exemplo era bisneto de Ana Moreira do Nascimento que era parente do marido José Rufino Alves Bessa, Ana Moreira era neta de Luzia Moreira do Nascimento ou Luzia P Bastos ou Luzia P Matos do português Antônio Bastos e da soteropolitana Josefa Matos. Luzia Moreira que foi casada com João Damasceno Silva Machado, foram os fundadores da povoação de Gameleira do Assuruá em Gentio do Ouro, um dos descendentes deles foi o Deputado Adão Bastos, neto e filho de criação do Coronel Zuza Moreira do curral de Pedras, vizinho a Gameleira. Ali perto da Gameleira fica Itajubaquara (Caldeirão do Ouro) lugar fundado por Miguel Alves Bessa em 1826, Miguel era casado com a mestiça( talvez cafuza ou "mulata") Maria Rocha (irmã de Chica de Venceslau Machado de Uibaí), sendo eles avós de Zé Rufino Alves Bessa, comerciante de peso no Assuruá e Xiquexique no século XIX, pai do também negociante e politico Lulu Bessa de Xiquexique .

Jonatas e Rauzin (Ex Prefeito de Uibaí) tem origem nos Bastos, foram eles fundaram o povoado da Laranjeira de Uibaí, na década de 70. Romualdo Bastos e Maria Gertrude Araújo tiveram 10 filhos, entre eles Bernardo bisavô de Maria de dona Mãe Genão e Mara Fogopagô, Porfírio pai de Zé Bastos foi quem o povoado de Boca Dágua de Uibaí. Severo pai de Norberto bisavô de Jonatas, Jacinta mãe de Luís que era, trisavò de Rosiglei de Maria Palito, Maria Benta esposa de Antônio Machado de Uibaí, foram um dos fundadores da cidade de Presidente Dutra. Luzia de Clemente Machado trisavó de Pedro Rocha (Atual prefeito de Uibaí) e tetravó de Elzinha mãe de Jonatas, Carlos Bastos do Mirorós, trisavô de Raulzin e Zé Bastos da Rádio Caraíbas de Irecê e Joana de Laurindo Miranda foram os fundadores do Baixão do Poço, ascendente de Fábio de Zeca Preto e também Cândida de Joaquim Jorge do povoado de Patos de Lapão, bisavós de Enock Carneiro e Peteka de Braulino. Ja Beto Lélis é descendente de Lúcio Araujo Teixeira .

Tete: Professor Célito Regmendes ((Xiquexiquense, morador de Uibaí, é professor de geografia formado na UFBA, Blogueiro e pesquisador da história e genealogia de Uibaí e regional) .

FONTE : XIQUESAMPA .

9 comentários:

  1. ... CONTINUAÇÃO DO TEXTO ORIGINAL( um poco modificado)...JA beto Lelis é descendente de LUCIO ARAUJO TEIXEIRA( irmão de maria esposa do romualdo bastos visto logo acima ), ele q morava no povoado de São Plácido do assuruá( municipio de Gentio do Ouro) era esposo de francisca ritta rocha sobrinha(sobrinha de chica de vensceslau daqui de uibaí), entre os filhos deles estão merenciana de severo bastos,(...) , umbilina de mané caboco, ascendente de minha amiga leu, militante cultural de são gabriel, MARIA COTA esposa de camilo custodio silva (machado), esse pai de gasparino lelis silva bisavô de beto ex prefeito de irecê e ibipeba, CUSTÓDIO SILVA pai dessa maria cota era bisavô de faburino rocha avô de delhão e dorisdei(professrora e vereadora em uibaí) assim como de dona fulô, avó da cambada de edmundo e maroca e de derme e cinda Lúcio araujo teixeira q era baixo , forte e gago e chica rocha q era "escura"( talvez cafuza) e "bruta feita uma cobra" tambem eram pais de manezin gambá trisavô de flavio dantas( mestrando e história regional de irecê pela UNEB) assim como de reinaldo da gia de ibitiitá ascendente de minhas amigas professoras fernanda campos e dorath sodré( PROFESSORA DA UNEB), de minha amiga estudante de enfermagem nilva de dode e de meu amigo frank de valmir de francolo da vila de hidrolandia e tambem de BELO VIEIRA de Central, um senhor q me passou várias informações acerca de lucio, reinaldo e chica, informãções q depois foram enriquecidas pelo alegre, prosador(no bom sentido) valmir de francolo de hidrolandia e pelo espetacular fulô bento neto de recife de ibipeba. Ah sim, tais dados foram juntados ao de varios inventários e registros de òbitos, casamentos e batizados, garimpados por mim ao longo desses anos de pesquisa...
    OBS; HA OUTRO TEXTO Q FIZ RELATANDO UM POUCO ACERCA DOS BASTOS E NOGUEIRAS q literalmente botaram fogo em XIQUE-XIQUE no século XIX, quem se interessar,entra em conto através do meu bloghttp://celitoblog2.blogspot.com/ ou do email celregmen@hotmail.com ou mesmo do meu orkut http://www.orkut.com.br/Main#Home.aspx?hl=pt-BR&tab=w0

    ResponderExcluir
  2. Parabéns Celito,muito bom saber um pouco da mossa miscigênação!!

    ResponderExcluir
  3. ola como vai,

    meu nome Eduardo sales bastos barbosa esse portugues antonio P. bastos ele tinha irmãos ?? porque em 1720 veio 2 portugueses com bastos no nome. meu Email kaname_hagury@hotmail.com qualquer coisa so entrar em contato. ate

    ResponderExcluir
  4. PRezado Celito,
    Eu me chamo Murilo Alves BAstos e, gostaria de saber se vc tem algum conhecimento da origem da familia bastos no piaui. MEu avô era de lá e, foi dele q veio o sobrenome BASTOS. O nome dele era EXPEDITO BASTOS DOS SANTOS

    ResponderExcluir
  5. Olá Expedito, favor nos mande aqui seu e-mail que Celito Regmendes o responderá com o maior prazer!!Obrigado à todos do Piauì, por visitarem o Blog XiqueSampa.

    Grato,Adriano Brito.

    ResponderExcluir
  6. PRIMEIRO PRA SALES: v fala q em 1720 vieram 2 portugueses, pra ONDE?? vc pergunta se antonio p bastos tinha irmãos, não ha documentos, pelo menos, não chegaram até a gente, mas é bem possivel q sim e talvez tenha(m) vindo pra nosso trecho:BARRA-XIQ-XIQ ou quem sabe pro trecho morro do chapéu -jacobina,mas são suposições, q mais vc tem acerca dos seus bastos???

    ResponderExcluir
  7. PRA EXPEDITO: meu caro expedito o sobrenome é disseminado em PORTUGAL a centnenas e centenas de anos com centenas de milhares de pessoas portando tal sobrenome nem sempre sendo da memsa familia . No século xviii e mesmo antes milhares de bastos entraram no brasil, se espalharam e se fixaram por todo o país inclusive aqui e aí no PIAUÍ q não é tão longe da gente, mas, sinceramente não posso falar mais nada qto aos BASTOS de lá...
    SÓ PODERIA AJUDÁ-LO caso seus bastos tivessem alguma relação com os q pesquiso... torço pra q vc consiga pegar o fio da meada dos seus ascendentes

    ResponderExcluir
  8. Bom dia sou Marcelo Britto viana gostaria de acesso a minha arvore genealógica sou
    sou bisneto de : Adão Bastos e Dona olga tenho como avos paternos Anisio nacimento Vianana e Gislene Bastos Viana, pais Paulo Roberto Bastos Viana e LInda Cristiane Silva Britto Viana Alguém pode informa Historias e nomes de meus antepassados?

    ResponderExcluir
  9. Meu email é marcelo_mbv@hotmail.com

    ResponderExcluir

ATENÇÃO!!! Tenha responsabilidade em seus comentários, não nos responsabilizamos por conteúdos impróprios .