[NEWS][6]

r
v
xique-xique

CUIDADOS COM AS COMPRAS DE FIM DE ANO.


Já estamos no fim do ano, lojistas se preparam para atender seus clientes e aumentar as vendas.

Os diferentes ramos de atividades no mercado apresentam ofertas que se enquadram no perfil de cada consumidor. A época natalina estimula o consumo não só pela tradicional troca de presentes, mas também pelo aquecimento proveniente do décimo terceiro salário entre os trabalhadores. Igualmente, o papel dos trabalhadores temporários possui grande importância, visto que proporciona maior poder aquisitivo àquelas pessoas que estavam à procura de uma nova oportunidade de emprego. Os consumidores realizam o sonho de comprar seu primeiro carro, viajar, reformar a casa, matricular-se na faculdade, etc., aumentando a procura por crédito facilitado. Há aqueles que também buscam por presentes natalinos para amigos e familiares, que vão desde os mais simples até os mais sofisticados. A estimativa das vendas cresce a cada período, e neste ano de 2012 não poderia ser diferente. Apesar de toda a estratégia de mercado e dos esforços dos lojistas para satisfazer às expectativas de seus clientes, muitos equívocos são cometidos tanto por parte dos consumidores quanto dos fornecedores.

A grande demanda frequentemente causa erros e demora no pagamento, mau atendimento, interrupção dos sistemas de cartão de crédito e débito, congestionamento de consultas aos órgãos de proteção ao crédito, etc. A fim de evitar problemas, o consumidor deve evitar o clima consumista e também ser mais cauteloso. Num primeiro momento, a quantidade de ofertas encanta os olhos, porém, se não houver o mínimo de planejamento, seus gastos podem sair do controle. Recomenda-se estabelecer um limite para as compras. Antes de adquirir qualquer produto, principalmente aqueles mais caros, é um dever do consumidor buscar informações sobre suas especificidades, localização das Assistências Técnicas (no caso de aparelhos eletrônicos) e certificados de qualidade do produto. O fornecedor não é obrigado a trocar um produto sem defeito, mas o lojista pode fazê-lo dentro do prazo estipulado para troca. Os produtos eletrônicos devem ser testados na frente do consumidor no momento da compra, dentro da loja. Este ato dá segurança tanto para quem vende quanto para quem compra, e é interessante para o lojista, inclusive, fazer constar isto na respectiva nota fiscal. Após pesquisar melhores os preços e ofertas, deve-se prestar atenção às condições de pagamento e de troca do produto. As condições de venda oferecidas pelo comerciante devem constar no pedido ou na nota fiscal, bem como o prazo para troca.

Produtos vendidos muito abaixo do preço de mercado possuem prazos de troca diferentes ou não podem se trocados – desde que devidamente informado ao consumidor no momento de sua aquisição. Isso implica em desconfiar de ofertas tentadoras. Ainda com relação ao pagamento, os prazos de entrega da mercadoria e de depósito dos cheques pós-datados precisam ser observados. Se o pagamento for parcelado, é importante sempre verificar a taxa de juros incidente no cartão de crédito ou no cheque especial. Talvez não seja interessante para o consumidor estender uma dívida neste período, pois há outras despesas previstas para o começo de ano, principalmente tributárias. As informações relevantes devem ser repassadas sempre por escrito. Esta providência não deve ser tomada apenas para proteger quem compra, mas também para segurança de quem vende. Dessa forma, se houver o descumprimento de qualquer cláusula, ambas as partes terão meios de exigir o cumprimento do contrato pela via judicial, se necessário.
Para aproveitar melhor esta época de festas, sem maiores preocupações, sem dívidas descontroladas, e sem nenhum aborrecimento, o melhor é fazer suas comprar de forma consciente e antecipadamente, evitar lojas que adotam práticas abusivas e controlar o impulso das ofertas e promoções. A melhor ferramenta de consumo é a prevenção. Para aproveitar melhor esta época de festas, sem maiores preocupações, sem dívidas descontroladas, e sem nenhum aborrecimento, o melhor é fazer suas comprar de forma consciente e antecipadamente, evitar lojas que adotam práticas abusivas e controlar o impulso das ofertas e promoções. A melhor ferramenta de consumo é a prevenção.

Autor: Marília Fernandes Castilho
Revisão e Edição: André Lacasi .

FONTE: PROJETA .

Jornal Centro Oeste Bahia '

O oeste da Bahia se encontra aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO!!! Tenha responsabilidade em seus comentários, não nos responsabilizamos por conteúdos impróprios .

Start typing and press Enter to search