Header Ads

ad

EMBASA: COMO RESERVATÓRIOS E BOMBAS PREVINEM OS PROBLEMAS DE ABASTECIMENTO .

Instalações hidráulicas adequadas, conforme previsto em Lei, evitam falta d’água em 
momentos de manutenção ou variação de pressão nas redes da Embasa  . 

Reservatório térreo, equipado com bomba, e com capacidade adequada para atender as necessidades de consumo da família durante 24 horas. A atenção à regra (estabelecida no Decreto nº 3.060/1994 e ratificado pela Resolução 001/2011 da Agência Reguladora de Saneamento Básico do Estado da Bahia - Agersa) é fundamental para garantir a regularidade no fornecimento de água, mesmo em momentos de variação de pressão ou manutenção nas redes de abastecimento. De acordo com o Decreto, a responsabilidade da Embasa corresponde ao produto fornecido até o ponto de entrega, sendo que “a reservação e utilização após o ponto de entrega são de responsabilidade do usuário”. A falta de infraestrutura dos imóveis, especialmente em locais que apresentam alto índice de ocupação irregular, é um dos grandes desafios enfrentados pela Embasa. “Muitas vezes, temos uma reclamação de um morador, cujo vizinho tem água. Isso, por si só, já demonstra o contrassenso da situação: como está faltando água na rua, se a casa ao lado está abastecida? Na verdade, o problema está na inadequação das instalações hidráulicas do próprio imóvel”, explica José Moreira, superintendente de Abastecimento de Água para Salvador e Região Metropolitana . 

Moradora do bairro de Sete de Abril, a comerciante Manuela Almeida sentiu de perto a importância de ter instalações hidráulicas dentro dos conformes. Proprietária da padaria Deli Sete, na Rua Nossa Senhora do Carmo, ela dividia com outras oito famílias a capacidade de um único reservatório de 7 mil litros. As faltas d’água eram constantes. “Há alguns meses, instalei um reservatório exclusivo para a padaria, com capacidade de 3 mil litros, e é muito raro ter problemas. O pão de sal, por exemplo, depende de vapor d’água para ficar no ponto certo. Foi decisivo para o meu negócio”, diz. A regra é clara: para imóveis com mais de um pavimento, o Decreto determina a instalação de reservatório inferior equipado com bomba para abastecer os demais andares. “Não basta instalar reservatório na parte superior do imóvel porque, às vezes, a pressão da rede na rua não dá conta de mandar a água para os andares de cima. É preciso ter um reservatório com bomba no térreo pra puxar a água. Em caso de problemas que interrompam o fornecimento de água, os imóveis inadequados são afetados mais rapidamente”, detalha Moreira. Além da instalação do equipamento hidráulico, é necessário atentar para a sua capacidade. A recomendação é calcular uma média de 200 litros de água por dia para cada habitante. Deve-se computar, ainda, mais 20% do consumo total para reserva de incêndio, conforme determina a Norma Técnica NBR 5626/98. Dessa forma, uma família de cinco pessoas, por exemplo, demanda reservatório com capacidade por volta dos 1.200 litros.

Ligações irregulares: Em bairros periféricos, o grande número de ligações irregulares agrava o quadro. "Essas ligações não passam por controle e, dessa forma, têm consumo elevado. Na prática, o grande número clandestinos, fraudes e lava a jatos irregulares acaba desviando a água que deveria abastecer as ligações regulares. Este fator, aliado à topografia elevada da maioria desses locais, acaba agravando a situação. Por isso, a questão do reservatório com bomba é tão importante”, constata Moreira. Ações fraudulentas envolvendo a utilização da água canalizada e tratada pela Embasa foram responsáveis, em 2012, pelo desvio indevido de mais de 3,4 bilhões de litros de água em Salvador e Região Metropolitana, resultando em prejuízo da ordem dos R$ 10 milhões decorrente do volume de água não faturado. A estimativa é que a perda seja ainda maior, já que nem toda a ligação fraudulenta é descoberta, mesmo com uma rotina de fiscalizações periódicas .

Recentemente duraram dois dias a total falta de água no município de Barreiras. O problema agravou-se a tal ponto que as escolas suspenderam as aulas, os orgão públicos estão trabalhando em regime especial, o atendimento dos hospitais foi prejudicado e nas residências a situação é, ainda, mais difícil, uma vez que falta água até para o consumo humano. Na noite desta terça-feira a Embasa tentava consertar uma tubulação que estava quebrada. O problema não foi solucionado e a cidade continuou sem água por mais dois dias .

Por Assessoria de Comunicação da Embasa Regional Barreiras para o Blog Xiquesampa .

FOTO: ZDA.

FONTE: ASCOM EMBASA BARREIRAS BA .

Nenhum comentário

ATENÇÃO!!! Tenha responsabilidade em seus comentários, não nos responsabilizamos por conteúdos impróprios .