[NEWS][6]

r
v
xique-xique

RECORDAR É VIVER: O EX-JOGADOR DIL FOI PENTA-CAMPEÃO BAIANO ATUANDO PELO BAHIA EM 1977 .

























Vejam essas fotos: Dil no Maracanã (3º agachado da esquerda para direita) marcou época no Bahia dos anos 70 e 80 . 

O Penta-Campeão Baiano reside em Xique-Xique, defendeu o Bahia, Atlético de Alagoinhas, Fortaleza, Asa de Arapiraca, Fluminense de Feira, Catuense, Botafogo de Salvador, Serrano e Seleção de Xique-Xique. Foto: Bahia Penta-Campeão Baiano de 1977 e Masters do Bahia. Dil reside em Xique-Xique (BA), onde presidiu a Liga Xiquexiquense de Desportos Amador. O Médio-volante Edvaldo Nogueira da Silva ( Dil ) com passagem marcante pelo futebol baiano nos anos 70 e 80 nasceu em Poções (BA) em 28 de janeiro de 1957. O craque começou a carreira em 1975 no Bahia, pelo qual conquistou o título estadual em cinco oportunidades. Defendeu também Atlético de Alagoinhas, Fortaleza, Asa de Arapiraca, Fluminense de Feira de Santana, Catuense, Botafogo de Salvador e Serrano de Vitória da Conquista, onde pendurou as chuteiras e iniciou a carreira de treinador, inicialmente como auxiliar de Polozzi. Casado com uma Xiquexiquense, tem dois filhos. Sua maior recordação no futebol está ligada ao Bahia de 1978, que terminou o Campeonato Brasileiro em 7° lugar . 

Dil conheceu bem os atalhos do Maracanã, atuou também no masters do Bahia. “Era titular daquele time de 1978 que marcou época em nosso Estado. Só não chegamos mais longe porque realmente era quase impossível vencer times como Guarani, Palmeiras, Internacional e Vasco”, disse o craque. Em 1977, o empate do BA X VI dava o Penta-Campeonato ao tricolor de aço. O Bahia manteve a mesma base da conquista do tetra. O Bahia fez uma campanha ainda melhor. Perdeu apenas dois dos 38 jogos disputados e recebeu da torcida o apelido de “máquina tricolor”. Chegou à decisão em 22 de maio de 1977, contra o Vitória, maior rival, e invicto a 27 jogos. O Vitória se superou, fez uma grande partida, conseguiu sair de campo sem tomar gols, mas também não foi capaz de balançar as redes. O empate sem gols transformava o Bahia no primeiro Penta-Campeão baiano da história. A festa após o apito final foi tão grande que Douglas saiu do estádio e esqueceu que tinha sido relacionado para o exame antidoping. Precisou voltar. Apesar da qualidade técnica, o técnico Carlos Froner atribui a outra coisa a conquista do penta. É que ele usou a mesma camisa cinza quadriculada nos 38 jogos . 

Dil jogou na Seleção Xiquexiquense no final dos anos 80 onde disputou o Campeonato Intermunicipal e a Copa do Feijão (Hoje Copa do Sertão), jogou também no Brasinha, como também em várias equipes do futebol amador de nossa cidade. Hoje possui escolinha de futebol, um grande descobridor de jogadores talentosos de nossa cidade e região para o futebol brasileiro. Entre os grandes ídolos do Esquadrão de Aço, Dil teve ter saudades de alguns como: Roberto Rebouças, Baiaco, Juvenal Amarijo, Zé Eduardo, Sapatão, Osni, Biriba, Alencar, Marito, Bobô, Charles, Emo, Emerson Ferreti, Dadá Maravilha, Eliseu Godóy, Beijoca, Léo Oliveira, Gilson Gênio, entre outros. Dil até hoje é lembrado pelos fanáticos torcedores que viram o tricolor de aço em ação nos anos 70 e 80. "Termos orgulho de termos um Penta-Campeão do futebol Baiano morando em Xiquexique. Parabéns Dil por contribuir com o desenvolvimento do futebol de nossa cidade como também por suas conquistas e sucessos no futebol ", Adriano Brito/Blog Xiquesampa .

FOTOS: BLOG DO MILTON NEVES .
FONTE E PESQUISA: XIQUESAMPA / ADRIANO BRITTO .

Jornal Centro Oeste Bahia '

O oeste da Bahia se encontra aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ATENÇÃO!!! Tenha responsabilidade em seus comentários, não nos responsabilizamos por conteúdos impróprios .

Start typing and press Enter to search