Header Ads

ad

GERVÁSIO LIMA: SEXTA-FEIRA SANTA, TURISMO E ARTE .

Na Sexta-feira Santa, que para muitos, principalmente os católicos praticantes, é um dos feriados mais importantes no Brasil, é comemorada tradicionalmente como o dia em que Jesus Cristo foi crucificado, antes do domingo de Páscoa o dia da sua ressurreição. 

Neste período, os cristãos fazem uma reflexão a respeito do julgamento, paixão, crucificação, morte e sepultura do Filho de Deus. Na conhecida também como Sexta-feira da Paixão, ou Sexta-feira Maior, nomeclaturas dadas como forma de reconhecimento de que Jesus demonstrou grande paixão ao se entregar para morrer crucificado, uma das principais tradições realizadas pelos católicos é a abstinência da carne, em respeito ao sacrifício de Cristo na cruz. As mais diversas espécies de peixe ditam o cardápio .

Para os mais abastardos o bacalhau, para os menos a piaba, a sardinha ou o piau. As pessoas costumam fazer algum tipo de penitência, como deixar de comer seu alimento preferido e deixar de fazer coisas que gostem muito. Dia quando se fazem muitas promessas e jejuns. Em Jacobina uma das pricipais tradições, ou penitência para alguns, é a subida à Serra do Cruzeiro. Levados pela fé, para o pagamento de promessas, pela demonstração de resistência física, pelo aspecto turístico e por outros tantos motivos, centenas, e às vezes milhares, de pessoas  vencem os mais de trezentos degraus todos os anos; ou melhor, em toda a Sexta-feira da Paixão.

Crianças, jovens, adultos e idosos se misturam no vai e vem, no sobe e desce que acontece durante toda a manhã do dia santo. Amigos se encontram, amizades são construídas, paqueras acontecem, cada individuo é atingido pelos encantos e magia deste ato em detrimento a esta importante data do calendário religioso católico. A subida ao Cruzeiro é uma característica de um evento turístico com tradições fólcloricas religiosas. Jacobina, como poucas cidades brasileiras, preserva os rituais católicos de cunho folclórico e cultural, numa combinação harmonisosa que faz da religião um misto de fé e arte. Além da Sexta-feira Santa, quando são encenadas peças teatrais alusivas à morte de Jesus, no município se comemora com arte o Dia de Corpus Christi, com confecções de tapetes em diversas ruas da cidade, as festas do Divino Espírito Santo, Nossa Senhor da Conceição, Santo Antonio, São Benedito, entre outras. Local religioso, turístico e cultural, isto ninguém, com exceção dos gestores públicos municipal, tem dúvida. Além das belezas naturais e das minas, Jacobina possui um rico patrimônio  histórico-cultural não explorado . 

A falta de políticas públicas voltadas para o turismo é visivelmente e vergonhosamente percebíveis. O que deveria ser uma das principais fontes de emprego e renda do município está sendo subestimado. Enquanto uma única grande empresa, depois da Prefeitura Municipal, explora, polui, mata e comete outros grandes males à saúde da população e ao meio ambiente, um gigante do bem, o turismo, adormece.

“Eu devia estar contente
Porque eu tenho um emprego
Sou um dito cidadão respeitável
E ganho quatro mil cruzeiros
Por mês” ...
OURO DE TOLO – Raul Seixas.

Por Gervásio Lima, Jornalista, Historiador e Colaborador do Blog Xiquesampa .

FONTE: XIQUESAMPA .

Nenhum comentário

ATENÇÃO!!! Tenha responsabilidade em seus comentários, não nos responsabilizamos por conteúdos impróprios .